Blog

Em 24/07/2020 10:06 - Estilo de Vida
Conheça seis maneiras de reorganizar as finanças e sair definitivamente do vermelho
Organização e planejamento são fundamentais
    Compartilhe:
Foto: Luan Zuchi

 E aí povo! Educação financeira é sempre um assunto delicado, porém muito necessário, principalmente em tempos de pandemia e de tantas incertezas econômicas. Cheque especial, boletos que não param de chegar, renegociações e juros cada vez maiores. A situação chega a ser desesperadora, principalmente quando não temos ideia de como fazer o dinheiro render até o final do mês. Apesar das incertezas e "dores de cabeça" que as dívidas podem trazer para o dia a dia, há uma luz no final do túnel: o planejamento financeiro.

O assunto "finanças pessoais" ainda é desconhecido para grande parcela da população brasileira, o que impacta diretamente em como as pessoas lidam com o tema em suas vidas. De acordo com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em parceria com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), mais de 60 milhões de brasileiros iniciaram o ano com dívidas. O cenário se torna ainda mais preocupante com o agravamento da crise financeira por conta da pandemia do novo coronavírus, isso porque, de acordo com Confederação Nacional de Comércio (CNC), 66,5% das famílias passaram a se endividar no último mês de maio.

A fim de acabar de vez com os mitos sobre como organizar as finanças pessoais, Hendel Favarin, cofundador da Conquer , escola de negócios da nova economia, separou algumas dicas para conseguir fechar o mês no azul. Confira!

- Autoconhecimento é tudo: o primeiro passo é criar o hábito de anotar os gastos diários, semanais e mensais em um caderno ou em uma planilha eletrônica. Por sorte, já é possível encontrar na internet algumas prontas e, até mesmo, aplicativos para smartphones. Deste modo, é bem mais fácil e simples visualizar para onde está indo seu dinheiro;

- Estude sobre finanças pessoais: enquanto países mais desenvolvidos, como Estados Unidos e Holanda, ensinam desde cedo sobre finanças pessoais, aqui no Brasil não temos essa cultura. Por isso, é importante recuperar o tempo perdido e buscar estudar mais a fundo sobre o assunto! Hoje é possível encontrar diversos cursos online gratuitos, como o da Conquer, que conta com aulas personalizadas de acordo com a realidade e conhecimentos de cada aluno.

- Cuidado com o cartão de crédito e o cheque especial: afinal, os dois são campeões em juros! Por isso, é importante tomar muito cuidado para não atrasar as faturas do cartão e usar somente em último caso o cheque especial, a fim de evitar um acúmulo de juros e que as dívidas se transformem em uma bola de neve;

- Renegocie quando necessário: agora que você já consegue visualizar como está sua situação financeira, talvez seja necessária uma renegociação. Para isso, entre em contato com todos os credores e veja se consegue chegar a um consenso para quitar as dívidas o quanto antes e evitar o acréscimo de juros;

- Faça um pé de meia: você finalmente está conseguindo um respiro em seu orçamento e as dívidas ficaram no passado, então está na hora de esbanjar, certo? Errado! Aproveite o dinheiro extra para fazer uma reserva de emergência, a fim de evitar surpresas e perrengues no futuro. Aqui, o recomendado é guardar o equivalente a seis meses de gastos ou pelo menos 20% de seu salário todo mês;

- Parcelamento é uma ilusão: as parcelas dão uma falsa sensação de economia. Isso porque você está postergando o pagamento e só acumulando mais juros e dívidas, por isso, sempre que possível, "arranque o band-aid" e pague à vista.

Com boas doses de paciência, estudo e autoconhecimento é possível sair do aperto e garantir saúde financeira e mais qualidade de vida. Invista nesta ideia!

Gostou do conteúdo?! Me segue também no Instagram @taisabibi, aproveita e se inscreve também no canal do Youtube Taísa Bibi.

Até a próxima!

Taísa Bibi com Assessoria