Blog

Em 15/06/2020 08:37 - Estilo de Vida
O FaceApp, que muda o gênero das pessoas, é realmente perigoso?
Entenda as polêmicas por trás do aplicativo que é investigado pelo FBI
    Compartilhe:
Foto: Divulgação

E aí povo! Esse final de semana vimos ressurgir o FaceApp, há exatamente um ano o aplicativo bombou envelhecendo as pessoas. Nesse domingo (13) as redes sociais foram invadidas com fotos criadas no aplicativo, onde o gênero das pessoas foram mudados, com certeza você viu muita gente postando fotos com a mudança, e pode ter sido até uma das pessoas que brincou com o app. Porém a política de privacidade do aplicativo é bastante questionada.

É real que quase ninguém olha os termos de privacidade ao instalar qualquer aplicativo, e que em todos eles a nossa vida, os nossos dados, estão lá sendo usados para que os donos dos aplicativos vendam esses dados, para grandes empresas, e assim o consumo é estimulado. Não é à toa que quando você quer comprar um celular, por exemplo, e faz uma busca, começam a aparecer dezenas de propagandas em redes sociais com anúncios de celulares. E isso não é coincidência.

Mas qual é a real do FaceApp?

O FaceAppp é de origem russa, já soma mais de 100 milhões de downloads somente na Google Play Store e foi alvo de discussões sobre privacidade e ciberespionagem, inclusive sendo investigado pelo FBI, por conta de sua política de privacidade vaga, com muitas brechas que preocupam em relação à proteção dos dados do usuário.

Entre os trechos polêmicos da Política de Privacidade do FaceApp está um que diz o seguinte: "Usamos ferramentas de estatísticas de terceiros para nos ajudar a mensurar o tráfego e as tendências de uso do Serviço. Essas ferramentas coletam informações enviadas pelo seu dispositivo ou nosso Serviço, incluindo as páginas web que você visita, add-ons e outras informações que nos ajudem a melhorar o Serviço. Coletamos e usamos estas informações estatísticas com informações estatísticas de outros Usuários, assim ela não pode ser usada para identificar qualquer Usuário em particular."

Isso significa que, ao concordar com isso no momento de instalação, o usuário autoriza que o FaceApp e empresas parceiras possam coletar dados como o histórico de navegação na internet.

Alguns especialistas em segurança digital avaliaram que a política de privacidade não fornece informações de como realmente os dados do usuário são utilizados pela companhia. O aplicativo admite que poderia coletar qualquer tipo de informação que ele próprio julgar conveniente, sem especificar quais ou de que forma serão usadas.

O fato povo é que na Internet não estamos mais ocultos, todos sabem onde estamos e o que estamos fazendo. É a Era da publicidade de controle, onde grandes marcas, e também influenciadores, nos controlam no sentido de estimular e impor o consumo.

Se é bom ou ruim, não sei! Mas estamos sim, em uma Nova Era, e como tudo na vida, devemos ter cautela.

Gostou do conteúdo?! Me segue também no Instagram @taisabibiaproveita e se inscreve também no canal do Youtube Taísa Bibi.

Até a próxima!

Taísa Bibi com Marie Clarie