Blog

Em 01/07/2020 15:47 - Inteligência Emocional
Ansiedade predomina em todas as gerações no Brasil durante a pandemia
Em todas as gerações, o sentimento de ansiedade tem mais do que o dobro de respostas em relação ao segundo colocado, que é o otimismo
    Compartilhe:
Foto: IVECTOR/SHUTTERSTOCK

E aí povo! Todas as gerações estão sofrendo com a pandemia e o isolamento social decorrente dela, mas diferentes gerações, diferentes vivências. Para entender como as diferentes gerações estão reagindo a esse momento e outras mudanças comportamentais que estão ocorrendo durante o isolamento, a Deezer ouviu 11 mil pessoas ao redor do mundo, entre eles 2.000 brasileiros. No Brasil, é a ansiedade que vem predominando. Em todas as gerações, o sentimento tem mais do que o dobro de respostas em relação ao segundo colocado, que é o otimismo.

Entre os Millennials (também conhecidos como Geração Y são os nascidos entre 1980 e 1995), 42,4% afirmaram estar ansiosos. Na Geração Z (nascidos entre 1995 e 2010), esse índice é de 37,2%, e de 43,8% para os Baby Boomers (nascidos entre 1940 e 1960). Curiosamente, esses últimos também são os mais otimistas, com 24% das respostas. De todas, a Geração Z é que se sente mais deprimida, com 12,6% relatando o sentimento - nesta categoria, Millennials e Baby Boomers têm respectivamente 8,2% e 7% das respostas.

No entanto, os brasileiros não têm se deixado vencer pela negatividade, por mais complexa que esteja a situação. Para ajudar a superar os sentimentos de ansiedade e melhorar o humor, eles têm buscado por conteúdos que os ajudem a se manter positivos, como músicas motivacionais e podcasts de auto-ajuda. A geração que mais fez essa busca foi a dos Millennials (63,3%), seguida pela Geração Z (59,7%). Entre os Baby Boomers, 54,8% dos entrevistados afirmaram procurar por este tipo de conteúdo.

Os conteúdos relacionados a bem-estar não são os únicos aliados dos brasileiros neste período. Para a maioria dos participantes, a música também é ouvida como uma forma de ajudar a melhorar o humor. Em se tratando do período das músicas mais ouvidas durante a quarentena, a geração Z (71,5%) e os Millennials (60,12%) preferem os hits de 2020, enquanto os Baby Boomers (67,8%) dão preferência às faixas da década de 1980.

Se a música é ouvida para melhorar o humor, os podcasts e programas de rádios são aproveitados de forma diferente, mas com o mesmo objetivo: buscar um equilíbrio neste momento enfrentado.

Para 26,5% dos Baby Boomers, os podcasts são uma forma de ajudar a processar as emoções; para 33,6% dos Millennials e 34,5% da geração Z, eles ajudam na distração. Com o rádio, a mesma coisa: para 37,3% dos Millennials, ajuda a melhorar o humor, e para 32,3% da geração Z é uma forma de distração. Os Baby Boomers ficaram bem divididos entre a distração (40,8%) e melhoria do humor (39%).

*A pesquisa foi realizada em abril de 2020, com 11.000 pessoas no Brasil, França, Alemanha, Egito, Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, EUA e Reino Unido.

Entenda as gerações:

Cada geração se refere aos nascidos em determinado intervalo de anos. Para o marketing atual, nos referimos aos nascidos em meados do século XX até o início do século XXI:

Geração Baby Boomers: nascidos entre 1940 e 1960 (atualmente com 60 a 80 anos)
Geração X: nascidos entre 1960 e 1980 (atualmente com 40 a 60 anos)
Geração Y (millennials): nascidos entre 1980 e 1995 (atualmente com 25 a 40 anos)
Geração Z: nascidos entre 1995 e 2010 (atualmente com 10 a 25 anos)
Geração Alpha: nascidos a partir de 2010 (atualmente com até 10 anos)

Gostou do conteúdo?! Me segue também no Instagram @taisabibi, aproveita e se inscreve também no canal do Youtube Taísa Bibi.

Até a próxima!

Taísa Bibi com Assessoria